Início / Probabilidades de Sucesso – Como NÃO Apostar!

Probabilidades de Sucesso – Como NÃO Apostar!

Os Perigos de usar Probabilidades de Sucesso por Intuição

 

  • Medidas quantitativas vs impressões emocionais
  • Vividez – meter a bola no fundo das redes
  • Fraseologia – A importância de medir as palavras
  • Peso a menos em eventos raros

 

Sabes porquê apostar na tua equipa é má ideia? Pela mesma razão que as lotarias são tão importantes e as pessoas avaliarem as probabilidades de sucesso em eventos raros, como um hole-in-one, tão difícil. Tem a ver com a distorção de percepção resultando no que é conhecido como os Efeitos da Certeza e Possibilidade.

Muitos apostadores não medem o valor de uma aposta pelo seu valor esperado. Em vez disso consideram o que sentem acerca dos retornos potenciais. Por exemplo, tentar medir a importância dos seguintes aumentos na possibilidade de ganhares 1 Milhão.

 

probabilidades-sucesso-apostas-online

Apesar de todas as opções representarem a mesma mudança quantitativa de 5%, produzem impressões qualitativas diferentes. Por outras palavras, cada opção gera uma reacção emocional diferente.

 

Opções A, B, C e D

 

A opção a) leva-te de não teres qualquer hipótese de ganhares  1 Milhão de €, até teres uma possibilidade. E, ainda que seja pequena – com uma probabilidade de 5% – a mexida para a possibilidade é um ponto fundamental para gerar uma emoção positiva. Este sentimento conhecido como o Efeito da Possibilidade leva geralmente os apostadores a apostar demasiado em não favoritos e odds demasiado altas. É a força por trás da participação numa lotaria que, para um investimento mínimo, oferece um potencial ganho enorme. 

As opções b) e c) tendem a ter impressões menos dramáticas. Ainda que em b) as tuas probabilidades de sucesso de facto dupliquem, têm um menor impacto negativo. Mentalmente é menos impactante. 

Com a opção d), o desfecho torna-se certo, produzindo o inverso do Efeito da Possibilidade. A isto chama-se Efeito de Certeza, o que significa que, na ausência de cálculos de valor, os desfechos perto de certos são geralmente pouco pesados com relação à sua probabilidade.

 

1) Vividez – Meter a Bola no Fundo da Rede

 

Apesar dos benefícios de pesar as probabilidades de sucesso, os apostadores tendem a apostar na equipa A em vez da equipa B porque acreditam que é uma ocorrência mais clara, e não por calcularem um valor maior. 

Para além disso, estudos mostram que o objectivo do uso da probabilidade ao avaliar desfechos diminui. Quando há uma representação emocional grande do desfecho, ou a escolha de palavras para uma aposta obriga a uma certa concentração.

Voltando ao nosso exemplo da lotaria, quem não teve a seguinte discussão: “O que farias se ganhasses a lotaria?” Isto é um exemplo de gerar uma fantasia vívida de um acontecimento pouco provável. Isto leva inevitavelmente a pesares mais a probabilidade de ganhares o jackpot. 

Pela mesma razão, apostar na tua equipa ou jogador preferido é uma má ideia. Porquê? Porque a tua ligação emocional gera projeções mais vívidas do desfecho pretendido. Ex. Meter a bola no fundo da baliza. Pesando em demasia assim essa probabilidade.

 

2) Fraseologia – A Importância de Medir as Palavras

 

Quando uma aposta é trabalhada em termos claros, é mais fácil calcular o valor expectado, estimado ou preciso, pelo que a pesagem vai ser semelhante à probabilidade do jogo. Variações subtis da forma como as apostas estão descritas podem, no entanto, fazer uma grande diferença na interpretação.

Por exemplo, alguns mercados podem ser descritos como “Jogador A vs Todos os Outros” ou, como uma lista de todos os participantes, incluindo o jogador A (Jogador A – 3.201, Jogador B – 9.454, Jogador C – 11.232, etc).

Na 1ª opção oferece de forma simplista, a função do jogador A, o que causa uma mensagem cognitiva de sucesso, pois estará contra toda a equipa, mas sem enumerar adversários. Na 2ª opção, apesar de serem exactamente as mesmas probabilidades de sucesso, parece ser uma tarefa mais difícil, simplesmente porque os adversários do Jogador A estão listados. Isto leva a que pesemos a menos as suas chances. 

 

aumento-probabilidades-sucesso

 

3) Concentração é tão Importante como Emoção

 

Da mesma forma, a concentração é crítica para avaliar as probabilidades de sucesso. É comum encontrarmos as seguintes apostas:

  • Equipa A marca? // Odds Sim – Odds Não
  • Equipa B marca // Odds Sim – Odds Não

 

O julgamento do apostador está demasiado pesado quando olha apenas para cada opção isoladamente, ao contrário da combinação de ambas as questões:

  • Equipa A e B marcam? // Odds Sim – Odds Não

 

Um estudo de 1999 feito por Craig Fox e o psicólogo Amos Tversky demonstra claramente isto. Perguntaram a um grupo de fãs de basquetebol para avaliar as hipóteses dos 8 ¼ finalistas nos playoff da NBA.

 

Julgamento sem recurso a cálculos, leva a que pesemos em demasia a probabilidade. 

Como a concentração estava apenas a avaliar as hipóteses de cada equipa à vez, e como por serem fãs de NBA geravam impressões vívidas de cada equipa, agregaram probabilidades dos desfechos que somavam um total de 240% para as 8 equipas. Claro que isto deveria ter sido somado para 100%.

Quando perguntados apenas para determinar o vencedor da conferência este, e da conferência oeste, as probabilidades estavam muito próximas dos 100%. Isto porque as 2 opções geravam menos resposta emocional e eram igualmente específicas.

 

4) Eventos Raros e Peso a Menos – O Buraco no Gangue

 

Um famoso esquema de apostas feito por 2 punters em 1991, que ficou conhecido como o hole in one gang, ilustra como a inabilidade de visualizar um evento raro, e como o julgamento sem recurso a cálculos auxiliares, leva a que se pese a menos as probabilidades de sucesso.

O par, após analisar estatísticas intensivamente, calculou que as probabilidades de um hole in one acontecerem num evento do European Golf Tour eram de 2.25. Com este conhecimento, circularam o país à procura de casas de apostas particulares. Pediam odds para um hole in one acontecer num evento de golfe que estava a ser televisionado. Os pequenos operadores não tinham sistemas de gestão de riscos sofisticados, pelo que confiaram na intuição para dar as odds. 

As casas consideravam o hole in one como sendo um evento raro, porque tinham pouca, ou nenhuma experiência de que acontecesse quer pessoalmente (para os que jogavam golfe), ou da televisão, onde a cobertura limitada significava que cada pancada do tee não era garantido que fosse televisionado. Como resultado, as odds que os apostadores conseguiram iam desde 4.00 até 101.00. Era um exemplo perfeito de peso a menos num evento raro.

 

Em Jeito de Síntese…

 

Uma das regras de ouro do jogo é que todas as apostas deveriam ser analisadas do ponto de vista do valor esperado, ou seja: a média de desfechos pesando pela probabilidade.

Infelizmente, os apostadores tendem a pesar as apostas com base em como se sentem com as probabilidades, resultando assim nos efeitos de possibilidade e certeza, o que pode sair caro.

Partilha o artigo!

Pronto para começares a ganhar dinheiro com apostas desportivas?

Começa a ganhar dinheiro com apostas desportivas online, a nossa equipa de apostadores vai-te ajudar a ter sucesso!

100% Gratuito e Seguro

Miguel M.

Deixe um comentário