Início / Premier League – Equipas de Topo Melhores Que Nunca?

Premier League – Equipas de Topo Melhores Que Nunca?

Estarão as Equipas de Topo da Premier League melhores que nunca?

 

Nos últimos anos houve a clara formação do “big six” no topo da Premier League. Estarão estas equipas mais dominantes que nunca? E se sim, qual a secção da tabela que perdeu mais ponto para a elite? Queres saber mais? Continua a ler para descobrires.

 

premier-league-logotipo-jersey

 

A Premier League tem um Top seis de equipas estabelecidas nos dias de hoje, e isto já vem de há praticamente uma década. Antes disso haviam os “big four” – compostos pelo Arsenal, Chelsea, Liverpool e Manchester United, que, entre eles, levaram 23/24 primeiros quatro lugares entre 2003/04 e 2008/09.

 

A imagem começou a mudar para seis equipas em vez de quatro quando o Manchester City foi comprado por Sheikh Mansour em 2008. No mesmo período, o Tottenham começou a atuar em conjunto dentro e fora dos relvados, depois de acabar na metade da tabela na primeira década do século 21.

 

O Arranque dos “Big 6”

 

Os “big six”, como são vulgarmente conhecidos, tornaram-se provavelmente um fenómeno na época de 2010/11. Esta foi a primeira época que eles ficaram no top seis da tabela. Foi também a primeira época que o City conseguiu segurar-se no top quatro e conseguiu a qualificação para a Liga dos Campeões, algo que eles não falham desde então.

 

De facto, os top seis clubes conseguiram em todas menos numa ocasião do top quatro da tabela desde 2005/06. No entanto, a primeira época da década atual parece o momento ideal para começar esta análise para saber se as equipas de topo da Premier League estão melhores que nunca.

 

2010/11 foi uma época estranha por um número variado de razões. Houve no total 111 empates, o que é o maior número de empates das últimas 18 épocas. Isto obviamente afeta os pontos que foram ganhos no total por toda a divisão, pois cada empate tira pontos do potencial total.

 

O Manchester United venceu a liga com apenas 80 pontos. Mas foi também a última época que uma equipa precisou de 40 pontos para permanecer na Premier League, já que o Birmingham City terminou em antepenúltimo com 39. As equipas na luta pela manutenção lutam sempre por conseguir esses 40 pontos, mas normalmente não são necessários tantos pontos para garantir a manutenção.

 

A combinação desses fatores fez com que houvesse apenas 47 pontos a separar o 1º e o último lugar, e a média neste século é de 62. Nas sete temporadas seguintes, a média do 1º para o último lugar é de 63 pontos, o que dita que os campeões não se têm afastado mais do que nunca nestes anos mais recentes.

 

No entanto, nas duas últimas temporadas o número subiu para 69 de média, o que pode significar alguma coisa mas ainda é muito cedo para o dizer.

 

adeptos-premier-league-celebracao

 

Uma Era de Domínio

 

Os “big six” da liga estão a dominar as outras 14 equipas mais do que alguma vez tinham.  Num período de cinco temporadas, desde Agosto de 2010 a Maio de 2015, os clubes fora dos “big six” conquistaram uma média de 0.68 pontos por jogo quando defrontaram um dos principais emblemas.

 

Isto aumentou para 0.93 em 2015/16 quando o Leicester surpreendeu tudo e todos na Premier League. A resposta das equipas grandes foi forte – as outras 14 equipas conseguiram uma pobre média de 0.48 pontos por jogo desde Agosto de 2016 até à jornada 25 de 2018/19. Os clubes mais pequenos podem ter conseguido derrotar os clubes grande por um total coletivo de 38 vezes em 2015/16, mas apenas conseguiram vencer 35 vezes no total das duas épocas seguintes.

 

De onde vêm os pontos?

 

Temos então uma definição clara dos “big six”, mas como se tem comportado os “big six” da parte de baixo da tabela desde 2010/11? É interessante notar que as equipas mudam obviamente época após época, no entanto os pontos obtidos coletivamente permanecem consistentes. Os piores seis da tabela conseguiram um total de entre 206 e 214 pontos em cada uma das últimas sete épocas, incluindo exatamente 210 em três ocasiões.

 

As médias de pontos por jogo depois de 25 jogos da época de 2018/19 indica que vai haver uma queda este ano, mas a consistência das performances coletivas na parte de baixo da tabela desde 2010/11 tem sido fenomenal.

 

Essa regra também se aplica às equipas despromovidas nesse período de tempo. As últimas três equipas ganharam sempre seis de 92 pontos no total. Se levarmos em consideração o total do 18º classificado, mais um ponto como o requisito para ficar na Premier League, nesse caso não houve mais de dois pontos de ambos os lados de 36 em cada época.

 

Apesar desta consistência na parte debaixo da tabela, os top seis têm vindo a ganhar mais pontos. Nas últimas duas épocas  conseguiram 466 e 477 pontos, o que são o terceiro e o primeiro totais mais altos das últimas 18 épocas.

 

 

guarda-redes-estirada-premier-league

 

Problemas do Meio da Tabela

 

Tu provavelmente já percebeste como isso é possível – as oito equipas do meio da tabela tem ficado piores. Nas primeiras 16 épocas do século 21, as equipas entre o 7º e 14º tiveram uma média total de 392 pontos.

 

No entanto, venceram apenas 372 em 2016/17 e apenas 365 na última época. De 2000/01 a 2015/16, uma média de 3.4 equipas das oito do meio da tabela conseguiram pelo menos 50 pontos por época. No entanto, apenas uma equipa o conseguiu em cada uma das duas épocas desde então.

 

O total de pontos mostra que as oito equipas do meio da tabela têm melhorado nos anos recentes quando uma das grandes equipas têm relativamente uma época fraca. O Manchester United de David Moyes terminou em 7º em 2013/14, mas o total deles de 64 pontos foi o maior de uma equipa naquela posição dos últimos 18 anos.

 

O Liverpool fez parecido ao terminar em 8º com 60 pontos em 2015/16 e nessa mesma época o Chelsea tornou-se a primeira equipa a terminar em 10º com 50 pontos pela 1ª vez em 6 épocas. A presença das grandes equipas parece ter influência nas performances desses clubes à volta deles na tabela.

 

A conquista do título pelo Leicester há três anos atrás parece ter inspirado os grandes clubes a elevar o seu jogo, mas às custas das equipas do meio da tabela e não das equipas que têm tido dificuldades ultimamente. Lembra-te disto na próxima vez que fizeres uma aposta entre uma equipa de topo e uma equipa do meio da tabela.

Partilha o artigo!

Ibéria

Deixe um comentário





Pronto para começares a ganhar dinheiro com apostas desportivas?

Começa a ganhar dinheiro com apostas desportivas online, a nossa equipa de apostadores vai-te ajudar a ter sucesso!

100% Gratuito e Seguro