Início / Guia do Euro 2020 – Regulamento, as Seleções e Dicas de Apostas

Guia do Euro 2020 – Regulamento, as Seleções e Dicas de Apostas

Guia-Euro-2020-Regulamento-Seleções-Dicas

A prova mais importante das seleções europeias vai arrancar, e a InBet traz-te o guia completo para o Euro 2020, com uma análise a todas as seleções, como a competição vai funcionar, e dicas para lucrares no Euro 2020.

Arranca no dia 11 de Junho, com o Turquia x Itália no Olímpico de Roma, após uma paragem de 2 a 3 semanas depois do fim dos principais campeonatos europeus, o que pode ser bom para as seleções, já que a maioria dos jogadores teve competição até um passado bem recente.

E como na InBet percebemos a dificuldade de juntar informação  sobre as 24 seleções presentes, desenvolvemos este guia para o Euro 2020, que se disputa entre 11 de Junho e 11 de Julho de 2021. Falamos de todas as equipas em detalhe, os pontos mais fortes, e mais fracos das equipas, o que é esperado de cada uma das equipas, e eventuais dicas de apostas que possas ter para o Euro 2020.

Estavas à procura de um guia assim? Então aproveita o material, e fica a conhecer um pouco mais sobre cada equipa, o regulamento da competição, e dicas de apostas que organizámos para ti!

Guia do Euro 2020: Regulamento e como vai funcionar a prova

A prova vai disputar-se em 11 cidades pela Europa:

  • Londres, Inglaterra – Estádio Wembley
  • Munique, Alemanha – Allianz Arena
  • Roma, Italia – Stadio Olimpico
  • Sao Petersburgo, Russia – Krestovsky Stadium
  • Bucareste, Romenia – Arena Nationala
  • Amesterdao, Holanda – Johan Cruyff Arena
  • Sevilha, Espanha – Estádio de la Cartuja
  • Budapeste, Hungria – Puskas Arena
  • Glasgow, Escocia – Hampden Park
  • Copenhaga, Dinamarca – Parken Stadium
  • Baku, Azerbaijao – Estádio Olímpico

Destes estádios, o estádio de Wembley (a 25% de capacidade), Baku (a 50% de capacidade), Glasgow (a 25% de capacidade), Copenhaga (25% a 33% de capacidade), São Petersburgo (pelo menos, a 50% de capacidade), Bucareste (25% a 33% de capacidade), Amesterdão (25% a 33% de capacidade) e Budapeste (capacidade total), Roma (a 25% de capacidade), Munique (pelo menos a 20% de capacidade) e Sevilha (30% de capacidade) vão receber adeptos. Ou seja, todos os estádios já vão ter adeptos.

Todos os jogos vão ter VAR, o que promete facilitar as decisões da equipa de arbitragem. Da mesma forma, todas as equipas podem fazer 5 alterações, em 3 momentos distintos no tempo regulamentar, o que favorece equipas com uma maior profundidade do plantel (equipas mais fortes).

24 equipas participam, distribuídas por 6 grupos de 4 seleções cada. Passa o 1º e 2º classificados de cada grupo, e os 4 melhores terceiros classificados. 

As equipas podem convocar 26 jogadores, sendo que apenas 23 podem constar na ficha de jogo de cada encontro, 11 titulares e 12 suplentes, sendo que, em cada jogo, uma seleção tem de deixar de fora 3 jogadores da ficha de jogo. 

Quais os Grupos do Euro 2020? 

Grupo A: Itália, Suíça, Turquia, País de Gales

Grupo B: Bélgica, Dinamarca, Finlândia, Rússia

Grupo C: Áustria, Holanda, Macedónia, Ucrânia

Grupo D: Croácia, República Checa, Inglaterra, Escócia

Grupo E: Polónia, Eslováquia, Espanha, Suécia

Grupo F: Hungria, Portugal, França, Espanha

Guia do Euro 2020: Análise das Seleções Participantes

Agora vamos analisar todas as seleções participantes no Euro 2020, por grupo, ou seja, vamos analisar as 4 seleções do grupo A, avançar depois para o Grupo B, e por aí fora. Vamos lá ficar mais familiarizados com cada seleção e perceber os cenários mais prováveis?

Falamos de cada uma das seleções, e o que é esperado de cada seleção, deixando uma ideia dos pontos mais fortes, mais fracos, e a posição esperada no grupo, e no Euro 2020.

A data do artigo, algumas equipas ainda não publicaram os 26 convocados finais, pelo que as análises são feitas com os 30, ou 33 jogadores pré-selecionados.

Turquia

Turquia

A Turquia participa no grupo A com a Itália, País de Gales e Suíça, num grupo onde, até ver, 3 das 4 equipas têm um nível muito semelhante.

A Turquia tem deixado boa imagem ultimamente, e na qualificação para o Mundial, ganhou por 4-2 à Holanda, em casa, e fora por 3-0 à Noruega em dois jogos onde os comandados pelo Senol Gunes pouca probabilidade tinham de ganhar.

Os convocados da Turquia são:

  • Guarda-Redes: Mert Gunok, Ugurcan Cakir, Altay Bayindir 
  • Defesas: Zeki Celik, Mert Muldur, Merih Demiral, Ozan Kabak, Caglar Soyuncu, Kaan Ayhan, Umut Meras, Ridvan Yilmaz
  • Médios: Dorukhan Tokoz, Irfan Can Kahveci, Okay Yokuslu, Orkun Kokcu, Ozan Tufan, Taylan Antalyali, Hakan Calhanoglu, Yusuf Yazici
  • Avançados: Cengiz Under, Abdulkadir Omur, Burak Yilmaz, Enes Unal, Halil Ibrahim Dervisoglu, Kenan Karaman, Kerem Akturkoglu

A pandemia chegou em boa altura para os turcos já que por esta altura no ano passado, muitos dos seus principais jogadores estavam lesionados. A seleção turca tem um misto de experiência e juventude, e é uma equipa com qualidade em quase todas as posições.

Pontos fortes: Tem jogadores de muita qualidade, como Soyuncu do Leicester, Calhanoglu, Ozan Tufan (que já merece dar o salto do futebol turco) ou Burak Yilmaz, campeão de França pelo Lille.

Pontos fracos: A baliza parece ser o principal problema no plantel dos turcos, mas a maior dificuldade vai ser a mesma de sempre – ter estabilidade emocional nos momentos mais complicados, que é algo que tanto a seleção, como as equipas turcas a jogar na europa, têm dificuldade frequentemente.

Previsão: É uma equipa com qualidade, num grupo difícil. Se conseguir passar a fase de grupos (deve acabar em 2º ou 3º), será um adversário difícil para qualquer equipa.

Itália

Itália

A equipa comandada por Roberto Mancini vem em excelente forma, e o mais provável é qualificar-se no 1º lugar do seu grupo.

O plantel italiano tem sido uma das maiores surpresas do futebol europeu nos últimos tempos, fruto dos resultados que os jogadores mais jovens, e lançados por Roberto Mancini, têm conseguido. A equipa italiana não perde desde Setembro de 2018, com Portugal, e é um dos outsiders que pode levantar o troféu do Euro 2020.

Os convocados da Itália são:

  • Guarda-Redes: Salvatore Sirigu, Gianluigi Donnarumma, Alex Meret 
  • Defesas: Francesco Acerbi, Alessandro Bastoni, Leonardo Bonucci, Giorgio Chiellini, Giovanni Di Lorenzo, Emerson Palmieri, Alessandro Florenzi, Gianluca Mancini, Leonardo Spinazzola, Rafael Toloi
  • Médios: Nicolo Barella, Bryan Cristante, Jorginho, Manuel Locatelli, Lorenzo Pellegrini, Matteo Pessina, Stefano Sensi, Marco Verratti
  • Avançados: Andrea Belotti, Domenico Berardi, Federico Bernardeschi, Federico Chiesa, Ciro Immobile, Lorenzo Insigne, Matteo Politano

Em Itália, vimos em ação um dos campeões nacionais com mais hegemonia desta época, o Inter que leva para a seleção, entre outros, Bastoni, Barella e Sensi, todos eles peças essenciais no título da equipa comandada por Antonio Conte.

Pontos fortes: Ao contrário de outras competições, esta equipa Italiana tem mais qualidade no ataque que na defesa, e Immobile, Insigne, Belotti ou Bernardeschi são alguns dos nomes mais importantes dos italianos, a par com os jogadores do Inter mencionados acima.

Pontos fracos: A seleção comandada por Roberto Mancini não perde há muito tempo, mas exceto a Holanda, não teve adversários tão complicados quanto isso e, até ver, parece faltar alguma experiência a esta equipa.

Previsão: Deve passar a fase de grupos sem grandes problemas, será sempre um Wild Card para o título, mas a nossa previsão é que, apanhando uma seleção realmente de topo, os italianos serão a seleção mais fraca entre essas duas.

País-Gales

País de Gales

À partida, esta é a equipa mais fraca do Grupo A, e deve ficar no último lugar. Não haverá o efeito surpresa que houve no último europeu. Até ver, mas esse parece ser o cenário da equipa comandada por Rob Page (após o afastamento de Ryan Giggs).

Na liga das nações, com um grupo acessível, a seleção galesa foi líder do seu grupo, e na qualificação para o Mundial perdeu na Bélgica, mas ganhou em casa a República Checa que, apesar de tudo, é uma seleção inferior a todos os adversários galeses no Grupo A do Euro 2020

Os convocados do País de Gales são:

  • Guarda-Redes: Wayne Hennessey, Daniel Ward, Adam Davies
  • Defesas: Ben Davies, Joe Rodon, Chris Mepham, Connor Roberts, Tom Lockyer, Neco Williams, Ben Cabango, Rhys Norrington-Davies, Chris Gunter
  • Médios: Aaron Ramsey, Ethan Ampadu, Matthew Smith, Joe Morrell, Joe Allen, Jonathan Williams, David Brooks, Harry Wilson, Dylan Levitt, Rubin Colwill
  • Avançados: Kieffer Moore, Dan James, Tyler Roberts, Gareth Bale

O País de Gales é uma seleção que tem muitas limitações, e exceção feita a Gareth Bale, Aaron Ramsey e Ben Davies, tem poucos, ou nenhum minuto jogado nas principais ligas de topo.

Pontos fortes: O espírito de equipa dos galeses mostrou-se em 2016, e deve-se manter no Euro 2020. Bale e Ramsey são claramente as principais figuras do País de Gales

Pontos fracos: É uma seleção com muitas limitações técnicas, e problemas no balneário com o afastamento de Ryan Giggs (por razões extra-futebol). É uma equipa com um nível inferior a muitos dos outros participantes.

Previsão: Deve ser uma das equipas eliminadas na fase de grupos do Euro 2020

Suiça

Suíça 

A Suíça é uma equipa que, pela calada, vai estando presente nas principais competições e no pior dos casos, dá muita luta aos adversários. Não vai, no entanto, contar com aquele que era o seu principal jogador em outras provas, Lichtsteiner, e a sua jóia, Shaqiri, chega com menos minutos do que em outras provas semelhantes.

É, no entanto, uma equipa compacta, lutadora e sólida, o que acaba por trazer dificuldades aos seus adversários. Conseguiu, por exemplo, empates com Espanha e Alemanha, tendo perdido apenas 1 de 4 jogos disputados com estas seleções. Mas Vladimir Petkovic já provou que constrói boas equipas, e tem aqui mais uma oportunidade de, pelo menos, avançar para a próxima fase.

Os convocados da Suíça são:

  • Guarda-Redes: Yann Sommer, Yvon Mvogo, Jonas Omlin
  • Defesas: Manuel Akanji, Loris Benito, Nico Elvedi, Kevin Mbabu, Becir Omeragic, Ricardo Rodriguez, Silvan Widmer, Fabian Schar, Jordan Lotomba, Eray Comert
  • Médios: Granit Xhaka, Denis Zakaria, Remo Freuler, Djibril Sow, Admir Mehmedi, Xherdan Shaqiri, Ruben Vargas, Steven Zuber, Edimilson Fernandes, Christian Fassnacht
  • Avançados: Breel Embolo, Mario Gavranovic, Haris Seferovic

A Suíça chega mais limitada que em outras situações, mas uma equipa que travou a Espanha e a Alemanha é sempre uma equipa já com créditos comprovados.

Pontos fortes: O coletivo é claramente o ponto mais forte da seleção comandada por Vladimir Petkovic, e essa é a grande arma para tentar ir avançando no Euro 2020

Pontos fracos: É uma seleção mais fraca do que em outras edições, e as suas principais figuras, como Shaqiri e Xhaka, não viveram bons momentos no passado recente. Têm alguma falta de qualidade

Previsão: Vai lutar pelo apuramento nos grupos, mas a tarefa não será fácil. Pela falta de armas ofensivas, mesmo defendendo-se bem com adversários mais fortes, faltam golos à equipa, pelo que dificilmente chegará, em qualquer cenário, mais além do que os quartos de final. 

Dinamarca

Dinamarca

Participa no grupo B com a Finlândia, a Rússia e a super-favorita Bélgica. À partida, há 2 equipas melhores que a Dinamarca, que por sua vez é melhor que a surpresa Finlândia, mas já vamos a isso.

Kasper Hjulmand tem uma equipa que ficou em 2º lugar no seu grupo da Liga das Nações, em igualdade pontual com o 3º classificado, a Inglaterra. Qualificou-se em 2º lugar, atrás da Suíça e à frente da Irlanda, num grupo com um nível relativamente acessível.

Os convocados da Dinamarca são:

  • Guarda-Redes: Kasper Schmeichel, Jonas Lossl, Frederik Ronnow
  • Defesas: Simon Kjaer, Andreas Christensen, Jannik Vestergaard, Joachim Andersen, Mathias Jorgensen, Daniel Wass, Jens Stryger Larsen, Joakim Maehle, Nicolai Boilesen
  • Médios: Christian Eriksen, Thomas Delaney, Pierre-Emile Hojbjerg, Mathias Jensen, Christian Norgaard, Anders Christiansen
  • Avançados: Kasper Dolberg, Jonas Wind, Andreas Cornelius, Martin Braithwaite, Robert Skov, Mikkel Damsgaard, Yussuf Poulsen, Andreas Skov Olsen

Se quisermos falar de uma potencial equipa-surpresa, a Dinamarca tem de ser um dos principais nomes. Têm jogadores titulares em equipas de topo nas principais competições europeias em todos os setores de campo, e além disso, uma equipa que já joga junta há algum tempo. Tem armas para causar muitos danos.

Pontos fortes: Eriksen, Hojberg, Poulsen, Vestergaard e Schmeichel vão ser os jogadores mais conhecidos da equipa, mas não se fica por aí. A Dinamarca tem muitos e bons jogadores, e assumindo que a defesa vai ser o seu ponto mais forte, o ataque tem qualidade para causar muitos danos…

Pontos fracos: Mas… A Dinamarca é uma equipa que convocou alguns jogadores de competições inferiores inglesas, ou do seu campeonato nacional, que é menos competitivo que a média. Ficando forçada a rodar a equipa, ou, a partir do momento em que as 5 substituições permitidas se mostrarem importantes, a Dinamarca perde valor enquanto seleção. 

Previsão: Deve ser capaz de se apurar na fase de grupos, em 2º ou 3º lugar, e se não tiver problemas físicos, vai ser um osso muito duro de roer para os seus adversários. 

Finlândia

Finlândia

A grande surpresa do Europeu, a Finlândia chega aqui com uma das equipas mais limitadas, mas com um dos maiores espíritos de superação e de luta das 24 equipas apuradas.

Ninguém ofereceu nada à equipa comandada por Markku Kanerva, que se qualificou atrás da Itália, à frente da Grécia e Bósnia para este Euro 2020. A equipa promete lutar, e é para isso que vamos ver esta seleção finlandesa.

Os convocados da Finlândia são:

  • Guarda-Redes: Jesse Joronen, Lukas Hradecky, Anssi Jaakkola
  • Defesas: Paulus Arajuuri, Leo Vaisanen, Sauli Vaisanen, Daniel O’Shaugnessy, Robert Ivanov, Jere Uronen, Nikolai Alho, Jukka Raitala, Joona Toivio, Robin Lod, Pyry Soiri
  • Médios: Joni Kauko, Onni Valakari, Rasmus Schuller, Thomas Lam, Tim Sparv, Fredrik Jensen, Robert Taylor, Glen Kamara
  • Avançados: Lassi Lappalainen, Teemu Pukki, Joel Pohjanpalo, Marcus Forss

A Finlândia é a equipa mais fraca, num grupo que conta com muita qualidade. Dificilmente conseguirá fazer algo mais do que ser corpo presente, e são boas notícias para as outras equipas do grupo B, tendo em conta que 4 dos 6 terceiros classificados dos grupos avançam para a próxima fase.

Pontos fortes: 3 jogadores atuam, na próxima época, nas principais ligas europeias, Hradecky, Pukki e Pohjanpalo. Esses são os principais nomes, mas a Finlândia é uma equipa que joga em equipa, e esse é o seu principal ponto forte.

Pontos fracos: O plantel tem muitas limitações, e por isso, muitos pontos onde pode falhar. É uma equipa mais fraca (mas com mais mérito), do que muitas seleções que ficaram de fora deste Euro.

Previsão: Provável último classificado do Grupo B, e saco de pancada dos seus adversários, que dependem da diferença de golos apenas para passarem à próxima fase.

Rússia

Rússia

Uma seleção que já nos mostrou o que pode fazer no Mundial de 2016, a Rússia tem aqui mais uma prova, num grupo onde, à partida, é uma seleção com grande probabilidade de se apurar diretamente para a próxima fase.

Tem um plantel vasto, e completo, que joga sobretudo na Liga Russa, e Stanislav Cherchesov vai tentar proezas como as do Euro 2008, ou Mundial 2016, com uma seleção russa experiente, e com qualidade em todos os setores.

Os convocados da Rússia são:

  • Guarda-Redes: Andrey Lunyov, Anton Shunin, Yury Dyupin, Matvei Safonov
  • Defesas: Yuri Zhirkov, Fyodor Kudryashov, Georgi Dzhikiya, Igor Diveev, Roman Yevgenyev, Vyacheslav Karavayev, Ilya Samoshnikov, Andrei Semenov
  • Médios: Dmitri Barinov, Arsen Zakharyan, Roman Zobnin, Denis Makarov, Denis Cheryshev, Aleksandr Golovin, Aleksei Ionov, Daler Kuzyayev, Aleksei Miranchuk, Magomed Ozdoev, Andrei Mostovoy, Daniil Fomin, Rifat Zhemaletdinov, Maksim Mukhin
  • Avançados: Artem Dzyuba, Anton Zabolotny, Aleksandr Sobolev

Muitos nomes ficaram de fora, entre eles Chalov para o ataque, por exemplo. Mas estes são os convocados, e se eles são desconhecidos para a maioria dos adeptos de futebol, fica aqui a dica – muitos destes jogadores que atuam na Rússia, têm um nível muito alto.

Pontos fortes: Dzyuba é o grande nome, e a grande referência do futebol russo, e Golovin teve um desempenho excelente no Monaco. São os principais nomes, mas não são os únicos, o elenco está bastante completo na seleção russa.

Pontos fracos: O ponto mais fraco da Rússia parece ser a defesa. Faltam alguns nomes, que foram deixados de fora, e entraram outros que parecem ser menos capazes do que os ausentes. Mas é com esta equipa que a Rússia vai, e promete dar muito trabalho.

Previsão: Deve ser capaz, no mínimo, de passar a fase de grupos, mas a Rússia tem aspirações mais altas, e plantel para tal. Dificilmente, no entanto, consegue chegar além dos quartos de final, sobretudo olhando a sua defesa. 

Bélgica

Bélgica

Um de 2 a 3 grandes candidatos e levantar o troféu, a equipa de Roberto Martinez tem jogadores com fartura, e pelo que tem produzido até esta fase, é uma equipa a ter muito em conta para as próximas provas a contar a nível de seleções. 

1ª no grupo da liga das nações, com 5 vitórias e 1 derrota. 1ª na qualificação para o Euro 2020, onde ganhou todos os jogos. 1ª atualmente na qualificação para o Mundial. 

Os convocados da Bélgica são:

  • Guarda-Redes: Thibaut Courtois, Simon Mignolet, Mats Selz
  • Defesas: Jan Vertonghen, Toby Alderweireld, Thomas Vermaelen, Dedryck Boyata, Jason Denayer
  • Médios: Timothy Castagne, Nacer Chadli, Yannick Carrasco, Kevin De Bruyne, Leander Dendoncker, Thorgan Hazard, Thomas Meunier, Dennis Praet, Youri Tielemans, Hans Vanaken, Axel Witsel
  • Avançados: Michy Batshuayi, Christian Benteke, Jeremy Doku, Eden Hazard, Romelu Lukaku, Dries Mertens, Leandro Trossard

Um dos candidatos ao título, a Bélgica tem vindo a construir um projeto interessante, e deve ter aqui uma campanha onde chega longe na competição.

Pontos fortes: Lukaku e De Bruyne, no meio de tanta qualidade, têm de ser os nomes de destaque. Mas ainda assim, há mais jogadores com um nível muito alto, e que podem ajudar esta seleção a chegar às fases mais avançadas, e quem sabe, ao título.

Pontos fracos: A defesa da Bélgica já comprometeu em fases anteriores, e vai continuar, pelo menos,a ser o bode expiatório. É o setor mais limitado e comprometedor, mas apesar de tudo, um setor que pode ser bem “escondido” pela qualidade tanto na baliza, como do meio-campo para a frente.

Previsão: Candidatos ao título, parece que a Bélgica perde apenas para 2 ou 3 seleções neste Euro 2020. A defesa pode comprometer, mas o ataque deve compensar. É uma equipa fortíssima, e grande candidata a ganhar o Euro 2020. 

Ucrânia

Ucrânia

Integra o grupo C com a Holanda, Macedónia e Áustria num grupo que deve ser extremamente equilibrado. 

A grande seleção da fase de apuramento. Num grupo com, entre outros, Portugal e Sérvia, a seleção comandada por Andryi Shevchenko foi a 1ª, mas o contraste veio na liga das nações, onde foi última do grupo que contava também com a Espanha, Alemanha e Suíça. 

O 1º objetivo passa por pegar no que a equipa fez durante a fase de apuramento para o Europeu, e se o fizer, passará à próxima fase do Euro 2020. Nessa fase de apuramento, a seleção ucraniana acabou com 6 vitórias e 2 empates

Os convocados da Ucrânia são:

  • Guarda-Redes: Andriy Pyatov, Heorhiy Bushchan, Anatoliy Trubin
  • Defesas: Eduard Sobol, Illia Zabarnyi, Serhiy Kryvtsov, Denys Popov, Oleksandr Tymchyk, Vitaliy Mykolenko, Oleksandr Karavaev, Mykola Matviyenko
  • Médios: Serhiy Sydorchuk, Ruslan Malinovskyi, Mykola Shaparenko, Marlos, Yevhen Makarenko, Oleksandr Zinchenko, Viktor Tsygankov, Taras Stepanenko, Andriy Yarmolenko, Oleksandr Zubkov, Heorhii Sudakov, Roman Bezus
  • Avançados: Roman Yaremchuk, Artem Dovbyk, Artem Besedin

A Ucrânia teve uma excelente fase de qualificação. A pergunta que fica é se será essa Ucrânia que vamos ter no Euro, ou a Ucrânia da Liga das Nações? A 1ª consegue causar muitos estragos. A 2ª é uma boa seleção, mas não tão boa quanto isso…

Pontos fortes: Zinchenko e Malinovskiy são os nomes mais reconhecíveis do plantel ucraniano, mas quem viu a Ucrânia na qualificação para o Euro 2020 percebe facilmente uma coisa – vale o plantel, mais que os valores individuais. E valendo aquele plantel, a Ucrânia é uma seleção muito forte.

Pontos fracos: Quase todos os jogadores alinham, ou no Dínamo de Kiev, ou no Shakhtar. Que são duas equipas com alguma expressão na europa, mas não tanta quanto isso. E a Ucrânia precisa que esses jogadores atuem acima da sua capacidade para ir avançando no Euro 2020. Vão conseguir?

Previsão: A Ucrânia deve passar a fase de grupos, mas resta saber até onde chega depois. Dificilmente, no entanto, passa dos quartos de final.

Holanda

Holanda

Esta Holanda apesar do nome, e apesar de alguns jogadores que tem é uma equipa algo limitada, e mesmo com adversários num grupo com menos gabarito, não deve ter uma tarefa fácil.

Os holandeses comandados por Frank de Boer vão arrancar contra o adversário provavelmente mais difícil do grupo e, não perdendo esse jogo, devem ser capazes de avançar para a próxima fase. A Holanda, no entanto, tem tido resultados menos bons ultimamente, perdendo contra a Turquia, por exemplo, num passado recente

Os convocados da Holanda são:

Guarda-Redes: Tim Krul, Jasper Cillessen, Maarten Stekelenburg

Defesas: Patrick van Aanholt, Nathan Ake, Daley Blind, Denzel Dumfries, Matthijs de Ligt, Jurrien Timber, Joel Veltman, Stefan de Vrij, Owen Wijndal

Médios: Donny van de Beek, Ryan Gravenberch, Frenkie de Jong, Davy Klaassen, Teun Koopmeiners, Marten de Roon, Georginio Wijnaldum

Avançados: Steven Berghuis, Cody Gakpo, Luuk de Jong, Donyell Malen, Memphis Depay, Quincy Promes, Wout Weghorst

Mas a Holanda é uma equipa com muita qualidade em quase todas as posições. O que parece faltar por vezes é o espírito de equipa, e as rotinas dos jogadores a jogar juntos, mas pode ser que, havendo maior química entre os jogadores, as eventuais falhas da equipa sejam esquecidas

Pontos fortes: A qualidade individual de alguns dos jogadores é claramente acima da média. Depay, De Jong entre eles, mas não apenas esses dois. Há muita qualidade na Holanda, resta saber como a equipa consegue atuar em conjunto.

Pontos fracos: A Holanda é uma equipa que joga bem. Mas não tão bem como poderia. Até ver, esta Holanda não tem as rotinas de equipa que outras seleções têm, o que, até hoje, foi sempre o principal obstáculo entre os holandeses e os grandes troféus no passado recente.

Previsão: Deve ser capaz de avançar a fase de grupos mas, no frente a frente com qualquer um dos candidatos, a Holanda será a pior seleção, e por isso deve cair assim que enfrentar um deles.

Áustria

Áustria

Já há algum tempo que a Áustria nos deixava a perguntar o que valia numa competição ‘a contar’, de seleções, e aqui estão eles. Não nos esqueçamos da Áustria que, em exibições antes do Mundial 2018 bateu o pé ao Brasil, Alemanha, Espanha e outros…

Franco Foda promete ter uma equipa que vai ser o seu apelido para os adversarios… A Austria foi a 1ª na Liga das Nações, ficando à frente de Roménia e Noruega, e ficou atrás da Polónia, mas à frente da Macedónia e Eslovénia na qualificação para o Euro. É uma equipa com alguns valores individuais, e que pode causar muitos danos aos adversários.

Os convocados da Áustria são:

Guarda-Redes: Pavao Pervan, Alexander Schlager, Daniel Bachmann

Defesas: David Alaba, Aleksandar Dragovic, Marco Friedl, Martin Hinteregger, Stefan Lainer, Philipp Lienhart, Stefan Posch, Christopher Trimmel, Andreas Ulmer

Médios: Julian Baumgartlinger, Christoph Baumgartner, Florian Grillitsch, Stefan Ilsanker, Konrad Laimer, Valentino Lazaro, Marcel Sabitzer, Louis Schaub, Xaver Schlager, Alessandro Schopf

Avançados: Michael Gregoritsch, Karim Onisiwo, Saša Kalajdzic, Marko Arnautović

Muitos nomes conhecidos e reconhecíveis nesta seleção austríaca, que conta com elementos que atuam sobretudo na Bundesliga Alemã. É uma equipa que anda pouco por estas andanças, mas que tem muitos valores, e assim como a Dinamarca, Rússia e Ucrânia, podem perfeitamente causar algumas surpresas neste Euro.

Pontos fortes: Muitos dos jogadores competem na Liga Alemã. E há algumas equipas com 2-3 titulares nesta seleção que facilmente terão mais entrosamento que jogadores de outras seleções. A química da equipa, baseada nas caras conhecidas da Liga dos Campeões, Alaba e Sabitzer e (esperamos), num ataque comandado por Arnautovic fazem da Áustria uma seleção muito perigosa.

Pontos fracos: A falta de andamento por estas andanças pode ser um dos (poucos) pontos negativos desta Áustria. Tem qualidade coletiva e individual, mas nestas provas a experiência conta. E resta saber se a seleção comandada pelo Sr. Foda tem a experiência necessária. 

Previsão: É esperado que consiga acabar em 2º ou 3º do grupo e, se o conseguir, promete trazer dores de cabeça a muitos dos adversários mais fortes, estilo Suíça em competições anteriores… Vamos ver.

Macedónia-Norte

Macedónia

A seleção mais limitada deste grupo C, e exemplo disso foi a sua prestação na liga das nações, onde ficou atrás da Arménia, e apenas 2 pontos à frente da Geórgia, 2 seleções mais fracas do que qualquer outro participante do Euro. Qualificou-se no playoff depois de vencer o Kosovo por 2-1

Igor Angelovski promete lutar, mas dificilmente conseguirá mais que isso, até ver, e assumindo que a vitória macedónia na Alemanha foi apenas um caso pontual. É uma equipa limitada, e mais limitada que, por exemplo, aquela Albânia do Euro 2016, e por isso, vamos ver o que esta seleção consegue fazer…

Os convocados da Macedónia são:

Guarda-Redes: Stole Dimitrievski, Damjan Siskovski, Risto Jankov

Defesas: Stefan Ristovksi, Darko Velkovski, Visar Musliu, Gjanni Alioski, Egzon Bejtulai, Kire Ristevski, Gjoko Zajkov

Médios: Arijan Ademi, Boban Nikolov, Enis Bardhi, Elif Elmas, Stefan Spirovski, Tihomir Kostadinov, Ferhan Hasani, Daniel Avramovski, Marijan Radeski

Avançados: Goran Pandev, Aleks Trajkovski, Ivan Trickovski, Vlatko Stojanovksi, Darko Churlinov, Milan Ristovski, Krste Velkoski

Alguns nomes sonantes nesta equipa, liderada pelo eterno Goran Pandev. Bardhi, Elmas ou Aliovski são também jogadores com bastantes minutos no futebol de topo esta época, e prometem ser as principais figuras desta seleção macedónia.

Pontos fortes: O espírito de luta da equipa, sabendo das suas limitações, é o principal ponto a favor da seleção macedónia que, à exceção dos valores individuais mencionados anteriormente, tem um plantel limitado, e terá dificuldades semelhantes à Finlândia, por exemplo.

Pontos fracos: Falta de qualidade para estas paragens. Pelo menos é o que parece ser o caso à partida, e com um plantel com as limitações do macedónio, terá de se focar em outros pontos se quiser lutar pela próxima fase do Euro 2020. 

Previsão: Dificilmente passa a fase de grupos, até ver, mas será esse o objetivo da seleção macedónia. No entanto, se o conseguir será uma surpresa, e como tal deve-se ficar pela fase de grupos da competição. 

Inglaterra

Inglaterra

O nome mais sonante deste grupo D, que conta também com a Croácia, República Checa e Escócia. Qualquer resultado que seja a eliminação precoce, sem ser com um dos 2-3 grandes candidatos, será uma surpresa (desagradável).

A Inglaterra tem muita qualidade em qualquer posição mas, como se viu em edições anteriores, não é pela qualidade que os ingleses pecam, mas sim, por vezes pelo excesso desta, o que acaba por prejudicar o coletivo. Vamos ver se será o caso, mas nas últimas competições da seleção inglesa, a mensagem tem sido melhor que em provas anteriores. 

Os convocados da Inglaterra são:

  • Guarda-Redes: Dean Henderson, Jordan Sam Johnstone, Jordan Pickford
  • Defesas: Trent Alexander-Arnold, Ben Chilwell, Conor Coady, Reece James, Harry Maguire, Tyrone Mings, Luke Shaw, John Stones, Kieran Trippier, Kyle Walker
  • Médios: Jude Bellingham, Jordan Henderson, Mason Mount, Kalvin Phillips, Declan Rice
  • Avançados: Dominic Calvert-Lewin, Phil Foden, Jack Grealish, Harry Kane, Marcus Rashford, Bukayo Saka, Jadon Sancho, Raheem Sterling

Qualidade e com fartura nesta seleção comandada por Gareth Southgate que promete, finalmente, voltar a lutar pelos grandes títulos do futebol internacional por seleções, pegando não só no talento que têm, como nas imagens que passou, por exemplo, no Mundial de 2018. 

Pontos fortes: A qualidade individual da equipa, em todas as posições. No meio da defesa, nas laterais, no centro do meio-campo, nas alas, no ataque. Esta inglaterra tem qualidade em todas as posições em campo.

Pontos fracos: Por vezes parece faltar mais sentido à equipa. Como faltou no mundial de 2018, ou na liga das nações. Resta saber qual Inglaterra temos aqui, porque se engrenar enquanto equipa, tem armas para lutar pelo título.

Previsão: A Inglaterra é uma de 2-3 seleções favoritas a lutar pelo título, assumindo que consegue jogar como um bloco, e não como 11 peças individuais. Deve, pelo menos, passar a fase de grupos em primeiro lugar. 

Croácia

Croácia

Os finalistas da última grande prova do futebol mundial têm aqui um desafio complicado – uma seleção algo envelhecida, alguma falta de talento jovem, e um grupo onde devem passar, mas que deve incluir algumas dificuldades. 

A equipa comandada por Zlatko Dalic conquistou apenas 3 pontos na liga das nações, num grupo com a Suécia, Portugal e França. Já na qualificação para o Euro, terminou em 1º do grupo mais fácil, 3 pontos à frente do País de Gales, 4 à frente da Eslováquia e 5 à frente da Hungria

Os convocados da Croácia são:

  • Guarda-Redes: Lovre Kalinic, Dominik Livakovic, Simon Sluga
  • Defesas: Sime Vrsaljko, Borna Barisic, Duje Caleta-Car, Dejan Lovren, Josip Juranovic, Domagoj Vida, Josko Gvardiol, Domagoj Bradaric, Mile Skoric
  • Médios: Mateo Kovacic, Luka Modric, Marcelo Brozovic, Milan Badelj, Nikola Vlasic, Mario Pasalic, Ivan Perisic, Josip Brekalo, Mislav Orsic, Luka Ivanusec
  • Avançados: Andrej Kramaric, Ante Budimir, Ante Rebić, Bruno Petković

O núcleo da seleção é o mesmo que foi a final do Mundial 2018, exceção feita a Mario Mandzukic. Mas são jogadores que, desta vez, têm mais 3 anos de idade, menos minutos, e alguns deles competem agora em provas menos competitivas.

Pontos fortes: O núcleo é o mesmo do Mundial de 2018. E como em equipa que ganha (quase) não se mexe, essa é a Croácia que vamos ver aqui. Mas depois do mundial a Croácia caiu, e a haver uma surpresa, é uma seleção a ser eliminada na fase de grupos.

Pontos fracos: É uma equipa que tem menos ritmo, menos resultados, e menos minutos jogados do que em outras situações, e isso parece ser um problema ao abordar este Euro. Mas a Croácia surpreendeu em 2018, é perfeitamente capaz de surpreender novamente em 2021.

Previsão: Apesar de tudo, leva a acreditar que esta Croácia dificilmente terá os mesmos resultados que em 2018 e, se conseguir passar a fase de grupos, deve cair assim que apanhar pela frente uma seleção, como a Inglaterra no seu grupo, que deve chegar longe na prova. 

Escócia

Escócia

A Escócia chega, depois de alguns anos, novamente a uma prova internacional de seleções. Tem a vantagem de disputar um jogo em Wembley, na vizinha Inglaterra, e promete arrastar multidões.

A Escócia voltou a ser falada internacionalmente esta época, fruto do excelente trabalho de Steven Gerrard no Rangers, e Steve Clarke procura pegar nesse ímpeto e levá-lo ao nível da seleção escocesa. A Escócia apurou-se no playoff contra Israel, depois de ficar em 3º na fase de qualificação, num grupo onde se apuraram diretamente a Bélgica e a Rússia. 

Os convocados da Escócia são:

  • Guarda-Redes: Graig Gordon, David Marshall, Jon McLaughlin
  • Defesas: Nathan Patterson, Stephen O’Donnell, Andy Robertson, Kieran Tierney, Greg Taylor, Liam Cooper, Grant Hanley, Declan Gallagher, Scott McKenna, Jack Hendry
  • Médios: Billy Gilmour, Callum McGregor, Scott McTominay, Stuart Armstrong, John McGinn, John Fleck, David Turnbull
  • Avançados: Ryan Fraser, Lyndon Dykes, Che Adams, Kevin Nisbet, James Forrest, Ryan Christie

Há alguns nomes sonantes, que atuam na Premier League, e que por isso têm experiência ao mais alto nível. Será, por isso, uma seleção com um nível razoável, mas que não está habituada a disputar competições com o nível do Euro 2020. 

Pontos fortes: É uma seleção que atua, em grande parte, nas duas principais competições de clubes em Inglaterra. É uma seleção que teve um excelente exemplo ao nível de clubes com o Rangers esta época. Por isso, e dados alguns dos valores individuais, promete ser uma equipa sólida, e que vai apostar no contra-ataque para causar danos aos seus adversários. 

Pontos fracos: É uma equipa com poucas ideias de jogo. Defende bem, tem um jogo direto, e aposta no contra-ataque. É uma equipa que deve ter dificuldade em marcar golos e, se sofrer, dificilmente conseguirá dar a volta ao marcador.

Previsão: É no entanto uma seleção que tem algumas possibilidades de passar a fase de grupos, mas mesmo que o faça, dificilmente causa dificuldades às seleções mais fortes deste europeu. Pelo menos na teoria…

República-Checa

República Checa

A República Checa tinha, há cerca de 10, 15 anos atrás, uma seleção muito forte, com Rosicki, Baros, Koller, entre outros. Esta República Checa é uma seleção que ainda tem alguns nomes sonantes, ainda assim com menos qualidade que em outras edições, mas com alguns valores que se destacaram na última época.

Jaroslav Šilhavý tem como primeiro objetivo qualificar-se para a próxima fase. E o 1º lugar no seu grupo na liga das nações, à frente de Israel, Escócia e Eslováquia, é um bom ponto de partida. Para o Euro qualificou-se no grupo da Inglaterra, e deixou boa imagem ao longo da campanha. 

Os convocados da República Checa são:

  • Guarda-Redes: Tomas Vaclik, Ales Mandous, Jiri Pavlenka
  • Defesas: Vladimir Coufal, Pavel Kaderabek, Ondrej Celustka, Tomas Kalas, David Zima, Jan Boril, Ales Mateju, Jakub Brabec
  • Médios: Lukas Masopust, Vladimir Darida, Tomas Soucek, Antonin Barak, Alex Kral, Tomas Holes, Petr Sevcik, Jakub Jankto, Adam Hlozek, Jakub Pesek, Michal Sadilek
  • Avançados: Michael Krmencik, Matej Vydra, Patrik Schick, Tomas Pekhart

Há muita qualidade nesta equipa Checa, e mesmo os nomes menos conhecidos, que atuam no campeonato Checo, jogam regra geral no Slavia de Praga, que é uma equipa que tem conseguido excelentes resultados na Europa, e domina por completo o futebol nacional.

Pontos fortes: Uma equipa menos habituada a estas andanças, mas que tem muita qualidade. Pode, portanto, causar surpresas, e vai ser sem dúvida uma equipa a ter em conta. Quase todos os seus titulares jogam nas principais ligas europeias, e por isso, tem uma qualidade, enquanto plantel, bastante alta.

Pontos fracos: Tem pouca experiência nestas andanças do futebol internacional, e mesmo os jogadores que atuam nas principais ligas, têm pouca experiência no futebol europeu internacional. Por isso, esse pode ser um ponto contra os Checos, que chegam aqui com uma equipa muito competente

Previsão: A República Checa parece ser capaz de lutar pelo 2º lugar com a Croácia, e se o conseguir fazer, e se se conseguir apurar, promete causar dores de cabeça a qualquer adversário.

Espanha

Espanha

A equipa mais forte do grupo E, que vai enfrentar a Suécia, Polónia e Eslováquia e que, até ver, deve ser capaz de avançar para a próxima fase sem grandes dificuldades.

A equipa comandada por Luis Enrique tem menos nomes do que nas competições anteriores, mas conseguiu ficar em 1º na Liga das Nações, à frente da Alemanha, Ucrânia e Suíça. Qualificou-se em 1º para o Europeu, sem qualquer derrota, e lidera o seu grupo na qualificação para o Mundial. Mais discreta, mas igualmente capaz, a Espanha não vem para brincar…

Os convocados da Espanha são:

  • Guarda-Redes: David de Gea, Unai Simon, Robert Sánchez
  • Defesas: Aymeric Laporte, Jordi Alba, Jose Gaya, Pau Torres, Diego Llorente, Eric García, Cesar Azpilicueta
  • Médios: Marcos Llorente, Sergio Busquets, Rodri, Pedri, Thiago, Koke, Fabian, Dani Olmo, Pablo Sarabia
  • Avançados: Gerard Moreno, Alvaro Morata, Ferran Torres, Adama Traore, Mikel Oyarzabal

Uma equipa mais discreta que o habitual, mas com uma ideia de jogo bem vincada e que, como tal, saberá o que fazer em campo. Resta saber se se consegue superar, e ser melhor que adversários que têm uma qualidade individual mais alta do que os espanhóis.

Pontos fortes: Esta equipa sabe como jogar em conjunto, e mesmo estando numa fase de remodelação, a ideia de jogo está bem presente. Por isso, é uma equipa que, mesmo com menos brilhantismo do que em competições anteriores, vai deixar a bola correr. 

Pontos fracos: Falta alguma qualidade nesta Espanha, e por isso, não a vamos considerar como favorita ao troféu. Pode chegar longe? Pode, e as equipas espanholas já mostraram várias vezes que conseguem ganhar mais com menos. Mas aqui parece que realmente falta alguma qualidade

Previsão: A Espanha tem currículo, mas até ver, não parece ter o que precisa para ganhar o Euro 2020. Por isso, o esperado é que vá avançando até apanhar um dos grandes candidatos, perante os quais deve ser eliminada. Mas a bola é redonda…

Suécia

Suécia

Encontrou-se com a Espanha na qualificação para o Euro, e encontra-se novamente no Euro. Esta equipa sueca tem qualidade (Mas menos que a vizinha Dinamarca, por exemplo). Tem no entanto um grupo relativamente acessível, onde tudo indica que deve ser capaz de avançar.

Janne Andersson e companhia tentam fazer melhor do que na Liga das Nações, onde foram últimos do grupo, e da qualificação para o Euro, onde apesar da qualificação direta, estiveram ameaçados pela Noruega até bem próximo da última jornada

Os convocados da Suécia são:

  • Guarda-Redes: Robin Olsen, Karl-Johan Johnsson, Kristoffer Nordfeldt
  • Defesas: Mikael Lustig, Victor Lindelof, Andreas Granqvist, Martin Olsson, Ludwig Augustinsson, Filip Helander, Emil Krafth, Pontus Jansson, Marcus Danielson
  • Médios: Sebastian Larsson, Albin Ekdal, Marcus Berg, Emil Forsberg, Alexander Isak, Gustav Svensson, Ken Sema, Viktor Claesson, Mattias Svanberg, Kristoffer Olsson
  • Avançados: Dejan Kulusevski, Robin Quaison, Jordan Larsson, Jens Cajuste

A Suécia tem a sorte de ter um grupo bastante nivelado, e isso, pode significar que passam à fase seguinte, mas sem garantias, e dada a habitual dificuldade ofensiva da seleção que não vai contar com Ibrahimovic, terá de ter uma taxa de aproveitamento alta se quiser avançar.

Pontos fortes: É uma equipa que costuma andar por estas competições, e sempre que participa, defende muito, e bem. Por isso, não deve ser uma equipa a sofrer muitos golos, e que vai confiar em Forsberg, Kulusevski e Isak para criarem as oportunidades, e marcarem os golos que tanto vai precisar. 

Pontos fracos: A Suécia é uma equipa com pouco nível técnico, que depende da defesa para esconder o pouco ataque que tem. Por isso, a sua pouca capacidade ofensiva é o seu principal ponto negativo, já que atrás do meio-campo já provou ser uma das melhores equipas europeias. 

Previsão: A defesa é um ponto importantíssimo neste tipo de competições, talvez o mais importante, e nesse campo, a Suécia cumpre. Deve ser capaz de, entre empates e vitórias pela margem mínima, ir seguindo em frente e, segurando um empate com um dos candidatos, o prolongamento e penalties darão uma probabilidade de 50/50 aos suecos de avançar. 

Polónia

Polónia

Lewandowski e companhia tentam, finalmente, superar ou pelo menos cumprir as expectativas de ver a seleção do melhor avançado do mundo a chegar longe numa competição entre seleções. 

E desta vez, excepcionalmente, esperemos que aconteça. A equipa comandada por Paulo Sousa ficou em 3º na Liga das Nações, atrás da Holanda e Itália, mas em 1º do seu grupo de qualificação para o Euro, com bastante vantagem. E esperemos que essa seja a Polónia que entra em ação aqui no Euro 2020. 

Os convocados da Polónia são:

  • Guarda-Redes: Lukasz Fabianski, Wojciech Szczesny, Lukasz Skorupski
  • Defesas: Jan Bednarek, Bartosz Bereszynski, Pawel Dawidowicz, Kamil Glik, Michal Helik, Tomasz Kedziora, Kamil Piatkowski, Tymoteusz Puchacz, Maciej Rybus
  • Médios: Przemysław Frankowski, Kamil Jozwiak, Mateusz Klich, Kacper Kozlowski, Grzegorz Krychowiak, Karol Linetty, Jakub Moder, Przemyslaw Placheta, Piotr Zielinski
  • Avançados: Dawid Kownacki, Robert Lewandowski, Arkadiusz Milik, Karol Swiderski, Jakub Swierczok

A Polónia tem, como sempre, alguns nomes interessantes mas, comparando com as últimas competições entre seleções, como o Euro 2016 e o Mundial 2018, houve uma queda no desempenho de quase todos os jogadores exceto Lewandowski. 

Pontos fortes: A Polónia tem o melhor avançado do mundo e, desde que seja bem servido (nem sempre é o caso), deve ser capaz de fazer golos. Lewandowski é sempre uma ameaça enorme para os adversários, e como tal, a principal figura dos comandados por Paulo Sousa.

Pontos fracos: No entanto, esta Polónia tem algumas limitações técnicas, e como dito, uma pioria relativamente a competições anteriores no que toca a competições a valer. 

Previsão: Esta seleção dificilmente vai causar os estragos que precisa a adversários mais fortes, e como tal, mesmo passando a fase de grupos, a falta de jogadores nos principais campeonatos europeus deve-se mostrar.

Eslováquia

Eslováquia

A Eslováquia é a seleção mais frágil deste grupo e, assumindo que vai ser a última, deve ser o saco de pancada das outras 3. Mas… a Eslováquia é melhor que isso, e não promete vida fácil a nenhum adversário…

Štefan Tarkovič e companhia tentam fazer com que o espírito de luta eslovaco, e a sua capacidade física garantam a passagem da sua seleção. Mas as impressões não são boas. Ficou em último na “2ª divisão” da Liga das Nações, ficou atrás do País de Gales e apenas a 1 ponto a frente da Hungria, precisando de penalties para eliminar a Irlanda no play-off.

Os convocados da Eslováquia são:

  • Guarda-Redes: Martin Dubravka, Dusan Kuciak, Marek Rodák
  • Defesas: Peter Pekarik, Ľubomir Satka, Denis Vavro, Milan Skriniar, Tomas Hubocan, Jakub Holubek
  • Médios: Marek Hamsik, Stanislav Lobotka, Patrik Hrosovsky, Juraj Kucka, Ondrej Duda, Robert Mak, Vladimir Weiss, Laszlo Benes, Lukas Haraslin, Tomas Suslov, Matus Bero, Erik Jirka
  • Avançados: Michal Duris, Robert Bozenik, David Strelec

Esta seleção tem um misto de titulares em equipas das principais ligas, como Dubravka, Pekarik ou Lobotka, e jogadores que atuam em campeonatos mais secundários. No geral, é uma equipa bastante limitada, e se Hamsik já não tem o nível de antes, será uma equipa com algumas dificuldades na prova

Pontos fortes: A defesa Eslovaca, apesar de tudo, e sólida, e com Dubravka na baliza, um dos melhores guarda redes da Premier League (Sabendo sempre que equipas mais defensivas vão ter guarda-redes que se destacam mais), deve ajudar a sua equipa a evitar golos para que depois os tente marcar na baliza adversária.

Pontos fracos: A Eslováquia é uma seleção com muitas limitações técnicas e que, por isso, deve ter dificuldades não só a ganhar a qualquer adversário no grupo, como a fazer-lhes frente caso haja inspiração do outro lado.

Previsão: Dificilmente ultrapassa a fase de grupos, e como tal, devemos ver apenas 3 jogos da Eslováquia neste Euro 2020. 

Hungria

Hungria

O provável saco de pancadas do Grupo E, onde vai enfrentar Alemanha, França e Portugal. Sendo que 4 dos 6 terceiros classificados se apuram, qualquer equipa vai, em jeito de garantias, tentar marcar tantos aos Junngarps quanto possível.

Marco Rossi vai tentar, no entanto, desfazer as ideias dos adversários do grupo, e tem boas razões para achar que o consegue fazer. A Hungria foi 1ª na Liga das Nações, num grupo com a Turquia, Rússia e Sérvia. E mesmo ficando em 4º lugar na qualificação para o Euro, ficou apenas a 2 pontos do 2º do seu grupo, o País de Gales. 

Os convocados da Hungria são:

  • Guarda-Redes: Peter Gulacsi, Denes Dibusz, Adam Bogdan
  • Defesas: Bendeguz Bolla, Endre Botka, Attila Fiola, Akos Kecskes,, Adam Lang, Gergo Lovrencsics, Willi Orban, Attila Szalai
  • Médios: Tamas Cseri, Daniel Gazdag, Filip Holender, Laszlo Kleinheisler, Adam Nagy, Loic Nego, Andras Schafer, David Siger
  • Avançados: Janos Hahn, Nemanja Nikolic, Roland Sallai, Szabolcs Schon, Adam Szalai, Kevin Varga, Roland Varga

O estádio de Budapeste vai ser o único com capacidade total para os adeptos, e a seleção húngara confia (ou espera) que isso possa ajudar a equipa. Provavelmente não será suficiente para se qualificar, mas qualquer jogo onde consiga roubar pontos aos “outros 3”, será uma vitória.

Pontos fortes: É uma equipa que vai poder atuar em casa, com o estádio cheio de muitos dos seus adeptos, e numa fase em que “jogar em casa” vale cada vez menos dados os poucos adeptos que podem ver os jogos, este caso deve ser bem diferente.

Pontos fracos: É uma equipa que, exceto Gulasci, Willi Orban e Szoboszlai tem pouca qualidade, pelo que tem um nível bastante inferior aos seus adversários no grupo.

Previsão: Dificilmente consegue avançar da fase de grupos, pelo que devemos ver apenas 3 jogos dos Húngaros.

Portugal

Portugal

Quem vai ser o Eder 2.0? Porque esta é nossa!! Agora vamos lá tentar fazer uma análise imparcial para usar este conhecimento nas apostas para o Euro.

Fernando Santos vai tentar repetir a proeza de 2016, e deixou boa imagem na Liga das Nações, onde Portugal teve mais 10 pontos que a Croácia e a Suécia, foi melhor que a França em Paris, e perdeu apenas em Portugal por um erro defensivo (e mérito dos franceses). Na qualificação para o Euro, ficou em 2º no grupo atrás da Ucrânia.

Os convocados de Portugal são:

  • Guarda-Redes: Anthony Lopes, Rui Patricio, Rui Silva
  • Defesas: Joao Cancelo, Nelson Semedo, Jose Fonte, Pepe, Ruben Dias, Nuno Mendes, Raphael Guerreiro
  • Médios: Danilo Pereira, Joao Palhinha, Ruben Neves, Bruno Fernandes, Joao Moutinho, Renato Sanches, Sergio Oliveira, William Carvalho
  • Avançados: Pedro Goncalves, Andre Silva, Bernardo Silva, Cristiano Ronaldo, Diogo Jota, Goncalo Guedes, Joao Felix, Rafa Silva

Falta Rui Patrício, de resto estão todos, e mais alguns, dos que levaram Portugal ao título europeu em 2016. Pelo menos, das peças fundamentais. Portugal não é favorito ao título, mas isso até pode ser bom. Sem nacionalismos, Portugal será o outsider, ou a surpresa mais óbvia dos prováveis vencedores saindo dos 2-3 nomes mais óbvios.

Pontos fortes: A equipa é a mesma do que no Euro 2016, e do Mundial de 2018, pelo que essa é a grande vantagem da seleção. Além disso, Bernardo Silva, Bruno Fernandes, Ruben Dias e Cancelo parecem ser uma melhoria relativamente à equipa campeã europeia. 

Pontos fracos: Falta o salvador das redes, Rui Patrício, e isso pode ser um ponto negativo. É a 1ª prova a sério de Anthony Lopes, que é um excelente guarda-redes, resta esperar que cumpra, e que calce bem as luvas de Patrício, que está lesionado

Previsão: Talvez o principal outsider a chegar longe na prova, e quem sabe, repetir o feito de 2016. Mas antes disso, tem de passar a fase de grupos. E antes disso, convém ganhar por 2 ou mais à Hungria para ajudar na diferença de golos.

França

França

O grande favorito a levantar o troféu. Ficou quase no Euro 2016. Campeão do mundo em 2018. E chega aqui mais forte que nessas provas, pelo que é claramente a seleção favorita a ganhar a prova.

Didier Deschamps tem talento mais que suficiente à disposição. Ficou em 1º, dominou um grupo muito complicado na Liga das Nações, idem aspas na qualificação para o Europeu, e lidera também a qualificação para o Mundial

Os convocados de Franca são:

  • Guarda-Redes: Hugo Lloris, Steve Mandanda, Mike Maignan
  • Defesas: Benjamin Pavard, Leo Dubois, Raphael Varane, Presnel Kimpembe, Lucas Hernandez, Lucas Digne, Clement Lenglet, Kurt Zouma
  • Médios: N’golo Kante, Paul Pogba, Adrien Rabiot, Corentin Tolisso, Moussa Sissoko
  • Avançados: Karim Benzema, Olivier Giroud, Kylian Mbappe, Marcus Thuram, Kingsley Coman, Wissam Ben Yedder, Antoine Griezmann, Thomas Lemar, Ousmane Dembele

No Mundial, a França tinha um Éder no seu plantel e, apesar do título, recebeu algumas críticas. Pois Deschamps ouviu, e além de Girou, tráz Benzema, que é uma clara melhoria na equipa francesa, já que o ponta de lança carregou às costas o Real Madrid quase toda a época.

Pontos fortes: Equipa vencedora, em excelente forma, com uma melhoria relativamente ao Mundial de 2018, que vem de ganhar o seu grupo na Liga das Nações, que teve 3 vencedores da Champions League e que, como tal, chega a esta prova quase num cenário ideal.

Pontos fracos: Dificilmente se encontra algo de negativo nesta França. Dominou o Mundial, e até ver, tem dominado, quando importa desde então. Não há qualquer ponto negativo na França, pelo menos antes do início do Euro 2020

Previsão: O principal favorito ao título, tem jogadores excelentes em todas as posições, habituados a jogar em equipa, e tudo o que seja uma eliminação precoce da equipa, será uma surpresa.

Alemanha

Alemanha

Sempre perigosa e competente, a Alemanha não tem o mesmo nível de outros tempos, mas graças ao Bayern de Munique, tem uma seleção muito forte, não só nas provas internas, com nas provas europeias por equipas

Deve ser a última prova de Joachim Low ao comando da Alemanha, e não haverá melhor forma do que sair em grande.

Os convocados da Alemanha são:

  • Guarda-Redes: Manuel Neuer, Bernd Leno, Kevin Trapp
  • Defesas: Matthias Ginter, Robin Gosens, Christian Gunter, Marcel Halstenberg, Mats Hummels, Lukas Klostermann, Robin Koch, Antonio Rudiger, Niklas Sule
  • Médios: Emre Can, Serge Gnabry, Leon Goretzka, Ilkay Gundogan, Kai Havertz, Jonas Hofmann, Joshua Kimmich, Toni Kroos
  • Avançados: Thomas Muller, Jamal Musiala, Florian Neuhaus, Leroy Sane, Kevin Volland, Timo Werner

Tem faltado algum brilhantismo a esta seleção alemã, mas não é por falta de talento individual. O balneário parece desconfortável, e isso não ajuda quando o objetivo é ganhar. Mas quando a bola rolar pode ser diferente, e se há equipa que pode superar as expectativas é esta Alemanha.

Pontos fortes: São muitos. Tem 11 jogadores vencedores da Champions League nos últimos 12 meses. Um núcleo da equipa habituado a jogar em conjunto graças ao Bayern de Munique. Uma equipa jovem, mas alicerces experientes. Tem, no papel, o que precisa para ser uma seleção vencedora.

Pontos fracos: Não tem convencido. E sem convencer pode ser campeã, mas é menos provável. Já se fala há algum tempo do afastamento de Low da seleção e isso pode acontecer no final da competição. Mas até lá, temos uma Alemanha cujo ponto fraco é o não cumprir com os valores individuais que tem no plantel.

Previsão: A par com Portugal, o grande outsider a ganhar o título. Se a Alemanha jogar como nos habituou, tanto pode ganhar o troféu, como pode sair na fase de grupos. Difícil de prever, mas tudo parece possível nesta seleção.

Euro 2020 – Palpites de Apostas

Ainda há algumas arestas a limar antes do arranque inicial, mas até esse momento, estas podem ser algumas das equipas, e jogadores, em maior destaque  na prova que se realiza de 11 de Junho a 11 de Julho de 2021.

Principais Candidatos: França, Bélgica e Inglaterra

Outsiders: Portugal & Alemanha

A desilusão: Croácia

As surpresas: Dinamarca, Rússia e Ucrânia

Melhor Marcador: Cristiano Ronaldo

E está fechada a nossa previsão do Euro 2020. Um guia completo, onde tentamos passar o máximo de informação, com o máximo de detalhe, para as tuas apostas desportivas.

Lê, analisa, aproveita e junta-te à nossa Área de Membros, é 100% Grátis, e temos estatísticas para todos os jogos do Euro 2020.

Boas apostas!

Partilha o artigo!

Pronto para começares a ganhar dinheiro com apostas desportivas?

Começa a ganhar dinheiro com apostas desportivas online, a nossa equipa de apostadores vai-te ajudar a ter sucesso!

100% Gratuito e Seguro

Deixe um comentário